quarta-feira, 2 de abril de 2008
















Não seria estranho que este ator,Se não vivesse uma ficção, um sonho de paixão,Pudesse obrigar sua alma a servir-lhe apenas à vaidade?Que essa atuação fizesse empalidecer seu rosto,Surgirem lágrimas em seus olhos, dar-lhe aspecto perturbador,Entrecortasse sua voz, e todo o exterior se adequasseÀ sua fantasia? E tudo isso por nada?
Shakespeare, HAMLET
Fotos Val Fernandes

Um comentário:

Tony disse...

Não estou me cantendo de tanta curiosidade. acabei de postar no blog do Arte da Ruína e não me contive, acabei visitando os outros blogs recomendados. Li que você também faz parte desse espetáculo, Diego e sei que ele está bem representado.
Que curiosidade, mano.
Avisem quando for a próxima loucura.
Abração,

Thony